Resenha – Livro: edição e tecnologias no século XXI

RIBEIRO, Ana Elisa. Livro: edição e tecnologias no século XXI. Belo Horizonte: Moinhos: Contafios, 2018. (Pensar Edição).

Em Livro: edição e tecnologias no século XXI, Ana Elisa Ribeiro reúne parte de sua produção sobre a área de edição, com especial atenção para as discussões realizadas sobre o tema no âmbito da área de Letras. Mesmo com esse recorte a obra traz apontamentos importantes para todas as pessoas que se interessam pelos processos de produção e circulação do livro.

O primeiro capítulo, intitulado Questões provisórias sobre literatura e tecnologia: um diálogo com Roger Chartier, a autora parte da produção do pesquisador francês para refletir sobre as dinâmicas envolvidas nos processos de escrita, edição e leitura de livros. Gostei, particularmente, da autora pensar as relações entre práticas analógicas de produção e uso dos livros e tecnologias digitais enquanto movimentos que se influenciam mutuamente e não como antagonistas.

Continuar lendo

Resenha – Gestão editorial de periódicos científicos

SILVEIRA, Lúcia; SILVA, Fabiano Couto Corrêa da (Org.). Gestão editorial de periódicos científicos: tendências e boas práticas. Florianópolis: BU Publicações/UFSC: Edições do Bosque, 2020. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/208652 Acesso em: 26 jul. 2020.

Essa coletânea se divide em 07 capítulos e tem como principal mérito discutir com propriedade aspectos do processo de editoração científica cuja literatura em língua portuguesa ainda é escassa.

O primeiro capítulo, intitulado Gestão editorial: tendências e desafios na transição para a ciência aberta, apresenta um breve histórico da evolução dos formatos e possibilidades para a comunicação científica para, a partir disso, discutir a ciência aberta com foco nas práticas editoriais abertas.

Continuar lendo

Resenha – Olhares em movimento sobre a transversalidade dialógica da Biblioteconomia e Ciência da Informação

JESUS, Mirleno Livio Monteiro de; MOUTINHO, Sônia Oliveira Matos (Org.). Olhares em movimento sobre a transversalidade dialógica da Biblioteconomia e Ciência da Informação. Teresina: IFPI, 2019.

Essa coletânea chegou na minha estante ano passado durante a Bienal do Livro, foi presente do colega Hernandes Andrade, mas só recentemente concluí a leitura dela. São 10 capítulos cujo conteúdo mescla reflexões teóricas com a descrição e discussão de experiências práticas.

Como o próprio título indica, a proposta do livro é ser transversal e por isso os capítulos cobrem temáticas variadas tais como, estágio supervisionado, literatura de África, informação científica, práticas de leitura, biblioterapia, repositório institucional, cultura e memória.

Continuar lendo

Resenha – O negro na biblioteca

Os últimos anos viram um aumento na quantidade de obras que tem questões vinculadas a comunidade negra como norte. Exemplo disso são Mulheres negras na Biblioteconomia, Epistemologias negras: relações raciais na Biblioteconomia, dentre outras. Esses e outros trabalhos representam um significativo ganho qualitativo para a Biblioteconomia.

Apesar dos avanças ainda há muito que percorrer a fim de superar o peso de décadas de negligencia teórico-prática que ainda se fazem sentir na produção da área. Diante disso, é muito importante disseminarmos obras que contribuem para o fim dessa lacuna e uma dessas obras é o livro O negro na biblioteca: mediações da informação para construção da identidade negra, de Francilene Cardoso.

#PraCegoVer: Montagem mostrando no lado esquerdo a capa do livro resenhado e no lado direito uma citação dele. Na capa aparece uma mulher negra contando histórias para um grupos de crianças e, um pouco abaixo, o corredor de uma biblioteca. A citação usada é “Se na história da biblioteca pública raramente se preservaram as produções culturais de setores populares, na atualidade é basilar que se preserve a memória desses setores para que se construa uma biblioteca pública verdadeiramente democrática”
Continuar lendo

Resenha – Bibliotecas públicas, bibliotecários e censura na Era Vargas e Regime Militar

Hoje, 7 de janeiro, é dia do/a leitor/a. E essa, sem sombra de dúvidas, é uma data importante para quem faz parte (e quer que cada vez mais pessoas façam parte) do universo do livro e da leitura.

Esse universo da leitura, para se caracterizar enquanto tal, precisa ser diverso nas obras literárias e artísticas que abriga. Para manter essa diversidade, vez por outra, bibliotecárias precisam encarar um obstáculo chamado: censura. E é sobre essa relação entre bibliotecas – bibliotecárias/os – censura que obra aqui resenhada trata.

vendados

#PraCegoVer: Fotografia preto e branco da cabeça de uma mulher de perfil. Ela está vendada.

Continuar lendo