7 livros de escritoras cearenses para comemorar o 7 de janeiro lendo

Dia 7 de janeiro é Dia do(a) Leitor(a) e para comemorar a data listei 7 livros de escritoras cearenses para você conhecer.

Imagem com capas das sete obras indicadas na postagem.

Andira, de Rachel de Queiroz (Literatura Infantil)

Amo esse livro! Nele, Rachel de Queiroz conta a história de Andira, uma andorinha que, após ser abandonada, é criada por uma família de morcegos. Essa é uma bela história sobre família e sobre a busca e construção do nosso lugar no mundo. Li quando era criança (peguei na biblioteca) e carrego a história comigo até hoje.

O Guia das Criaturas Mágicas: desbravando terras brasileiras, de Thaís Câmara (Literatura Juvenil)

A Thaís parte do folclore para construir um livro sobre as mais variadas criaturas mágicas que habitam as terras brasileiras. É um guia pra aprendiz de magia nenhum botar defeito! A leitura é fácil e cada texto é acompanhado por uma ilustração. Nessa live, promovida pela Biblioteca do CCBJ, a autora conta um pouco mais sobre a escrita dessa obra.

Memória dos Ossos, de Juliana Diniz (Romance)

Uma história de e sobre três gerações de mulheres de uma mesma família. Nesse romance curto, a protagonista olha para as ausências em sua vida para tentar entender melhor a si e ao mundo que a envolve. Sempre que penso nesse livro me vem a mente imagens dos jardins simples, mas muito bem cuidados que encontro até hoje nas casas de algumas parentes e conhecidas.

A mulher mais amada do mundo, de Vanessa Passos (Contos)

13 histórias curtas com 13 mulheres diferentes e em cada uma delas é possível ver um pouco da vastidão assustadora e, simultaneamente, bela e feia do que significa ser mulher. Meus contos favoritos do livro são ‘Coisas que não mudam” e “A mulher mais amada do mundo”. O livro conta ainda com as sensíveis ilustrações da Raisa Christina.

Redemoinho em dia quente, de Jarid Arraes (Contos)

Jarid é uma de minhas escritoras brasileiras favoritas e vê-la escrevendo contos (meu formato favorito) foi uma alegria. O livro é repleto de vozes de mulheres diversas e faz a gente ir do riso ao choro durante a leitura. O fato das histórias se passarem na região do Cariri cearense adiciona mais uma camada de representatividade aos textos. Esse livro foi um dos vencedores da edição de 2020 do Prêmio da Biblioteca Nacional.

A memória das coisas, de Marília Lovatel (Romance)

Escrevi romance dentro dos parênteses, mas ainda não consegui encaixar essa obra numa categoria. Esse livro é formado por capítulos que, ao se juntarem, formam uma narrativa coesa, mas que também tem vida própria separadamente. Outro ponto interessante é que, retomando formato já usado por outras(os) autoras(es), Marília dá vida a objetos e os utiliza para contar as histórias de uma família ao longo de várias gerações.

O olho de Lilith, Várias Autoras – Organizado por Mika Andrade (Poesia)

Essa antologia me ganhou desde o título ao invocar uma das personagens femininas mais controversas e fascinantes vinculada a história das religiões: Lilith. Outro ponto de destaque desse livro, é fato das autoras terem se reunido para escrever poesia sobre sexo e erotismo. E cada uma delas fez isso em seu próprio ritmo e estilo de poesia. Como se não fosse suficiente, o projeto gráfico da obra é um arraso.

Curtiu as dicas? Já conhecia alguma dessas obras? Me conta nos comentários.

Até a próxima postagem! 🙂

2 respostas em “7 livros de escritoras cearenses para comemorar o 7 de janeiro lendo

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.